Twitch confirma venda para Amazon por US$ 970 milhões.

Segundo Amazon, site de streaming teve 55 milhões de visitantes em julho. Em maio, rumores apontavam que YouTube compraria Twitch por US$ 1 bi.

O Twitch, plataforma on-line de vídeos usada para a exibição ao vivo de partidas de games, confirmou na tarde desta segunda-feira (25) que será vendido para a varejista on-line Amazon. A negociação será concluída até o final do ano e gira em torno de US$ 970 milhões (R$ 2,22 bilhões), pagos em dinheiro.

A confirmação da transação acaba com os rumores, ventilados em maio, que apontavam a compra do Twitch pelo YouTube por US$ 1 bilhão. Atualmente, o segmento de conteúdo mais visto no site de vídeos do Google é o de games, tanto que o canal com o maior número de assinantes é o do sueco PewDieDie, apelido de Felix Arvid Ulf Kjellberg, que publica vídeos em que comenta games.

“Nós escolhemos a Amazon porque ela acredita em nossa comunidade e compartilha de nossos valores e visão a longo prazo”, afirma Emmett Shear, presidente do Twitch, no blog oficial da companhia. “No momento em que fomos ao ar, sabíamos que tínhamos trombado com algo especial. Mas o que se seguiu nos surpreendeu tanto quanto a qualquer outra pessoa, e o impacto que teve na comunidade e em nós é verdadeiramente profundo”.

Segundo a Amazon, em julho, o Twitch teve 55 milhões de visitantes únicos, responsáveis por assistir mais de 15 bilhões de minutos de conteúdo no Twitch. A plataforma possui mais de 1 milhão de publicadores.

“A transmissão e a visualização de jogos é um fenômeno global e o Twitch construiu uma plataforma que traz junto dezenas de milhões de pessoas que veem bilhões de minutos de games por mês”, diz Jeff Bezos, fundador e presidente-executivo da Amazon. “E o incrível é que o Twitch tem apenas 3 anos”.

Em matéria do jornal “The Wall Street Journal” publicada em fevereiro, o Twitch aparece em 4º lugar no ranking de empresas com maior tráfego de internet em horários de pico nos Estados Unidos. Com 1,8% de participação, o site aparece na frente de serviços como Facebook, Amazon e Tumblr e atrás apenas de Netflix, Google e Apple, respectivamente.

Via G1

%d blogueiros gostam disto: